Presidente 40

por Vera Magalhães

 

Paulo Preto e EJ frente a frente

                                                                                        Fotos Folhapress

Acontece nesta quarta-feira, no Fórum da Lapa, em São Paulo, audiência do processo por calúnia e difamação que o ex-diretor administrativo da Dersa Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, move contra o vice-presidente do PSDB Eduardo Jorge Caldas Pereira, o tesoureiro-adjunto do partido, Evandro Losacco, e jornalistas da revista “IstoÉ”.

Em reportagem de agosto de de 2010, a revista atribuiu a vários dirigentes tucanos a acusação de que Paulo Preto sumira com R$ 4 milhões de arrecadação da campanha presidencial de José Serra.

Havia declarações de EJ dizendo que Vieira da Souza “arrecadou por conta própria’’ recursos para a campanha, e de Losacco dizendo que o engenheiro atraía empresários por ter o “poder da caneta’’ --no caso, das obras da Dersa.

No primeiro debate do segundo turno, Dilma Rousseff se referiu ao episódio, e Serra respondeu não conhecer nenhum Paulo Preto. Isso levou o engenheiro a dar entrevista à repórter Andrea Michael, da Folha, em que se queixava do comportamento dos tucanos e advertia: “Não se larga um líder ferido na estrada a troco de nada’’.

A partir daí, Serra disse que conhecia Vieira de Souza --apenas não tinha associado o ex-assessor a seu apelido, que qualificou de “preconceituoso”-- e outros tucanos entraram no circuito para negar que ele tivesse arrecadado dinheiro para a campanha.
Os advogados do engenheiro devem propor um acordo para encerrar a ação movida por ele, mas até esta tarde ainda havia dúvida sobre se Paulo Preto preferiria levar o caso adiante.

Escrito por Vera Magalhaes às 18h47

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

De Collor a Dilma, um pintor do poder

                                                                                  Fernando Bezerra Jr/EFE

O pintor pernambucano Romero Britto, que na segunda-feira presenteou a presidente Dilma Rousseff com um retrato, não pode ser considerado um fiel militante petista. Também não é exatamente um neófito na arte de cortejar poderosos, de diferentes ideologias e nacionalidades.

Seu portfolio de clientes inclui o senador democrata Ted Kennedy, morto em 2009, e republicanos como Arnold Schwarzenegger, governador da Califórnia, e Jeb Bush, irmão do ex-presidente norte-americano George W. Bush.

O início de sua fama como queridinho dos poderosos vem da República de Alagoas. O ex-presidente Fernando Collor notabilizou o artista recifense ao se declarar seu fã e ao exibir, em diversas ocasiões, um grande quadro seu que adornava as paredes de sua casa em Miami.

O quadro, inclusive, foi usado como pano de fundo em uma famosa entrevista de Collor à repórter Sonia Bridi, da Globo, em 1997, uma das primeiras depois de deixar o cargo após enfrentar processo de impeachment.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também possui uma tela sua.

O namoro com Dilma não se resume ao retrato com o qual a presenteou. Em janeiro, Romero Britto pagou do próprio bolso um anúncio saudando a presidente na “New York Times Magazine”, revista do jornal norte-americano “The New York Times’’. A ilustração era, claro, o retrato agora ofertado.

Escrito por Vera Magalhaes às 13h02

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Cid Gomes e líder do PMDB disputam Dnocs

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), e o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), travam uma queda de braço pela indicação do diretor-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras contra as Secas).

Enquanto Cid tenta emplacar, com apoio maciço da bancada cearense na Câmara e no Senado, seu secretário de Recursos Hídricos, Cesar Augusto Pinheiro, no posto, Henrique Alves resolveu comprar mais uma briga pela permanência do atual diretor, Elias Fernandes, seu correligionário potiguar.

O governador argumenta que, tradicionalmente, cabe ao Ceará a indicação não só do diretor-geral do Dnocs como o comando do Banco do Nordeste.

Com uma relação desgastada com a presidente Dilma Rousseff e com o comando do PSB desde que seu irmão, Ciro Gomes, teve a candidatura presidencial abortada, Cid fez chegar ao ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, que era uma questão de honra para o Estado assegurar a indicação desses dois postos do segundo escalão.

Por sua vez, Henrique Alves está queimado no Planalto graças à disputa pelo comando de Furnas, que saiu da órbita do PMDB da Câmara e passou a ser feudo do presidente do Senado, José Sarney (AP).

Depois de uma viagem ao exterior, Cid Gomes deveria voltar ontem para retomar a negociação pelas indicações no segundo escalão.

No BNB (Banco do Nordeste), o governador cearense fez uma parceria com o PT para indicar o presidente. Ele e o deputado José Guimarães, irmão de José Genoino, avalizaram a permanência do atual presidente, Roberto Smith, indicado pelo petista.

Mas como Dilma Rousseff resiste à ideia de mantê-lo, o consórcio PSB-PT já tem um segundo nome na manga: José Sydrião de Alencar Júnior, atual diretor de Gestão do banco.

Escrito por Vera Magalhaes às 19h51

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

De cara nova

De volta à reportagem depois de um ano e três meses na edição, recebi da Folha o convite para coordenar o blog Presidente 40, até então concebido como um espaço coletivo da reportagem de política do jornal.

A ideia é tornar o blog mais noticioso e, ao mesmo tempo, mais analítico.

Como estou apenas tateando tanto na linguagem quanto no ritmo da blogosfera, no início a periodicidade das postagens pode se tornar um tanto irregular. Peço paciência.

Enquanto a coisa engrena, devo contar com a colaboração das sempre excelentes Anna Virginia Balloussier e Tathiana Barbar, responsáveis pela maior parte das boas sacadas publicadas no blog até aqui.

O blog tratará tanto da política nacional quanto da estadual, trafegará do Executivo ao Judiciário, passando pelo Legislativo, terá um olho sempre atento ao que acontece nas redes sociais e pretende antecipar, sempre que possível, discussões, tendências e polêmicas.

Conto com a sua participação, internauta, para torná-lo sempre melhor.

Escrito por Vera Magalhaes às 19h14

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

'Café com a Presidenta'

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira, ao citar o novo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), que o estudante terá crédito mais barato e maior tempo de carência para quitar a dívida com o governo.

Dilma ressaltou que o programa terá uma taxa de juros de 3,4% ao ano, menor do que no governo Lula.

Ouça o programa de hoje:

Escrito por Tathiana Barbar às 11h12

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Juntos em Ribeirão


Márcia Ribeiro/Folhapress

O tucano José Serra acompanhou neste sábado o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em viagem a Ribeirão Preto, informa o repórter Araripe Castilho.

Juntos, eles fizeram a entrega de 160 casas na periferia da cidade.

Perguntado sobre o motivo de sua presença no evento, o ex-governador do Estado afirmou ter sido chamado por Alckmin e apenas aceitou o convite.

Serra preferiu participar discretamente da entrega das casas, que começaram a ser construídas durante seu mandato.

No palco, Alckmin pediu para que o correligionário falasse ao microfone, mas o ex-presidenciável se recusou.

Durante seu discurso, o governador não deixou de citar o convidado. Disse que as moradias entregues às famílias eram "fruto do trabalho" de Serra.

Apesar de não discursar, o ex-governador não recusou posar para a foto entregando a chave da casa a uma das mutuárias beneficiadas pelo programa estadual de habitação.

Escrito por Tathiana Barbar às 11h50

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Carnaval


Beth Santos/Divulgação

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), participou neste sábado do ensaio técnico da escola de samba União da Ilha do Governador.

Ele entrou junto com a bateria, tocando chocalho, e ficou até o final do ensaio.

Neste Carnaval, o prefeito vai desfilar na Portela, na Grande Rio e na União da Ilha --escolas que tiveram seus barracões queimados durante um incêndio no início do mês.

Paes sairá tocando chocalho e tamborim.

Na Grande Rio, vai entrar de improviso.

Escrito por Tathiana Barbar às 11h37

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Veículo da Câmara


Sérgio Lima/Folhapress

No aniversário de 31 anos do PT, na quinta-feira, o ex-deputado federal José Genoino (PT) usou um carro de serviço da Câmara para chegar a um jantar com petistas na casa do ex-deputado federal Sigmaringa Seixas.

Genoino, que não conseguiu se reeleger nas eleições do ano passado, afirmou ter ganhado carona de um deputado federal, sem dizer de quem se tratava.

Entrevistado posteriormente, afirmou que o veículo, na verdade, acompanhava o comboio do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), apesar de ambos não terem chegado juntos ao evento que festejou o aniversário do partido.

A Câmara dos Deputados, por sua vez, não esclareceu o motivo nem quem deu a ordem para que um carro da Casa fosse utilizado pelo ex-deputado para um evento partidário.

A Folha questionou a Câmara diversas vezes ontem, mas a assessoria de imprensa da Casa informou que o setor responsável pelo transporte precisava da placa do carro para responder --informação que não estava disponível.

O agora ex-deputado e também ex-guerrilheiro foi convidado pelo ministro Nelson Jobim (Defesa) para trabalhar no ministério e auxiliá-lo em temas ligados ao Congresso. Ele é um dos réus do processo do mensalão no STF (Supremo Tribunal Federal).

Escrito por Tathiana Barbar às 11h24

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Gabinete vazio

Quando chegou para ocupar o gabinete na Câmara do Rio na última quarta-feira, Argemiro Pimentel (PMDB), suplente de agora deputada estadual Clarissa Garotinho (PR), encontrou apenas duas mesas para trabalhar, informa o repórter Felipe Caruso.

Cadeiras, móveis e até as persianas haviam sido levadas pela ex-vereadora. "Chegou um computador no mesmo dia, mas não tinha onde colocar e deixamos ele no chão. Estamos acampados há uma semana", disse o chefe de gabinete de Pimentel, Henrique Jordão.

Segundo a Câmara, Clarissa comprou com o próprio dinheiro móveis novos ao assumir o cargo em 2009. A deputada diz que encontrou cadeiras rasgadas e mesas mal conservadas. Os antigos móveis foram encaminhados à zeladoria, que os redistribui para outros setores.

Ao mudar-se para a Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) na semana passada, resolveu levar consigo o mobiliário adquirido. Ainda não conseguiu, no entanto, desfrutar do conforto. Seu gabinete na Assembleia ainda não tem piso e as paredes estão sendo pintadas. O cheiro forte de tinta e três mesas para todos os funcionários da deputada também dão ares de acampamento ao novo local de trabalho.

No gabinete do vereador Argemiro chegaram nesta semana cinco cadeiras em bom estado.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h10

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Folia

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), quer carregar a presidente Dilma Rousseff e seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, para o sambódromo no Carnaval, informa a coluna de Mônica Bergamo.

O convite já foi feito.


Fábrica especializada em máscaras produz modelos de Lula e Dilma para Carnaval

Escrito por Tathiana Barbar às 10h02

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Voo 1206


Joel Silva/Folhapress

O ex-presidente Lula causou rebuliço ontem à tarde em seu primeiro voo comercial desde que deixou o cargo.

Ele posou para fotos, deu autógrafos e falou de futebol no trajeto entre São Paulo e Brasília.

Lula participa hoje da festa de 31 anos do PT. E volta a receber o título de presidente de honra do partido.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h05

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Aula na Etec


Paula Giolito/Folhapress

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) repetiu ontem para alunos do curso técnico de gestão pública de uma Etec (Escola Técnica) o roteiro de sua apresentação para os estudantes do terceiro ano do colégio Dante Alighieri, um dos mais caros e tradicionais da capital paulista, informa a repórter Daniela Lima.

Foi no Dante que Alckmin teve o primeiro contato com alunos após eleito. Para celebrar o centenário da escola, ele deu uma aula inaugural.

Ao final, admitiu que as lousas digitais disponíveis aos alunos da escola --cuja mensalidade do terceiro ano é de R$ 1.751-- eram o "sonho de Herman", referindo-se a Herman Voorwald, secretário de Educação.

A aula de ontem para os estudantes da Etec também foi ministrada em sala de aula espaçosa e bem equipada -tinha ar-condicionado e aparelho de projeção digital.

As escolas e Fatecs (Faculdades Técnicas) são as meninas do olhos --e bandeira eleitoral-- do governador para a política de geração de emprego. "Eu adoro isso aqui", disse.

Alckmin preferiu não inovar e repetiu os slides apresentados no Dante.

A aula foi a mesma, mas as piadas não. "São Paulo é do tamanho de uma Argentina, mas com uma vantagem: fica dentro do Brasil", disse.

Escrito por Tathiana Barbar às 09h49

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

1ª noite no Alvorada


Rodrigo Paiva/Folhapress

Depois de mais de três meses na Granja do Torto, a presidente Dilma Rousseff dormiu pela primeira vez no Palácio da Alvorada, na noite de segunda para terça.

Ela despachou ontem na "casa nova" com a ministra Helena Chagas (Comunicação Social) e depois seguiu para o Palácio do Planalto.

Apesar de já ter dormido no Alvorada, o Planalto não confirma se a mudança de Dilma já foi levada ao local.

Desde sua eleição, ela vinha ficando na Granja do Torto, também residência oficial, mas mais afastada do Palácio do Planalto e considerada, na prática, um local de descanso.

Inicialmente prevista para a segunda quinzena de janeiro, a mudança da presidente teve de ser atrasada por conta de uma reforma no palácio.

Escrito por Tathiana Barbar às 09h47

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Suplentes


Lula Marques/Folhapress

A Câmara vai continuar dando posse aos suplentes de deputados licenciados seguindo a lista dos mais votados dentro das coligações e não dos partidos.

A decisão vai contra liminares recentes concedidas pelo STF (Supremo Tribunal Federal), que determinaram a posse de suplentes do mesmo partido do deputado que se licenciou.

"Vamos continuar cumprindo a lei, que estabelece que os suplentes são da coligação. A Câmara continua com esse entendimento", disse o presidente de Casa, deputado Marco Maia (PT-RS).

O parlamentar afirmou que as liminares só serão cumpridas após um processo interno. "A Corregedoria da Casa fará uma análise [da liminar]. Não podemos tirar o direito de defesa de um deputado."

Segundo Maia, a decisão não é uma afronta ao Supremo, é apenas a "utilização de um critério universal".

O deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO), por sua vez, vai propor uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para determinar que vagas abertas sejam preenchidas por suplentes da coligação.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h20

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

A filha do Zé Vaqueiro vira desembargadora

A mais nova desembargadora do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, que abrange os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, saiu do sertão da Bahia e chegou a ser a empregada doméstica por seis meses na república de estudantes que a abrigou em Salvador.

Daldice Santana, 47 anos, foi promovida ao TRF por merecimento no final do ano passado. Na sua terra natal, Riacho de Santana (BA), ninguém imaginava que a “filha do Zé Vaqueiro” iria chegar tão longe.

Porém a vida dedicada aos estudos levou Daldice a cursar Direito na Universidade Federal da Bahia. Formada em 1986, trabalhou como auditora e procuradora da Fazenda do Estado da Bahia até passar no concurso para juiz federal em 1993.

Neste processo de seleção, no exame oral, foi indagada se conhecia São Paulo. Ela conta que respondeu: “ Na música do Caetano eu conheço”.

A resposta bem-humorada quebrou o clima de tensão na sala do concurso e ela foi aprovada, relata a nova desembargadora.

Agora ela vai precisar desse alto astral para vencer os mais de onze mil processos que herdou para julgar no TRF.

Escrito por Flávio Ferreira às 20h24

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Ex-morador de rua


Rafael Andrade/Folhapress

Ex-morador de rua, o deputado estadual Paulo Melo (PMDB) vai comandar pela primeira vez a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), com o apoio do governador Sérgio Cabral (PMDB), informa o repórter Italo Nogueira.

Melo foi eleito com 121 mil votos, para seu sexto mandato.

A ascensão do deputado chamou a atenção do Ministério Público. Promotores investigaram por três anos o crescimento de seu patrimônio. Atualmente seus bens somam R$ 3,4 milhões, incluindo 12 terrenos, dois prédios comerciais e apartamentos em Saquarema, na região dos Lagos, sua cidade natal.

O inquérito foi arquivado por falta de provas. Segundo ele, sua fortuna foi construída com um escritório de despachantes do Detran --"Cheguei a ter mais de 50 funcionários"-- e empreendimentos imobiliários.

Filho de um pedreiro e uma parteira, Melo vendia cocada feita pela mãe e pedia esmolas a turistas para ajudar a família, na infância.

Aos 11, fugiu para a capital, dormiu na rua e fez bicos. Ele diz ter pernoitado na escadaria do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia. Acabou recolhido a um abrigo.

Melo se estabeleceu ao trabalhar numa concessionária de carros. Depois, passou a despachante do Detran.

Escrito por Tathiana Barbar às 09h39

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

'Ele não vai vestir o pijama de jeito nenhum'


Lula em janeiro na inauguração de estádio em São Bernardo, uma das poucas aparições públicas

Depois de um mês de silêncio e raras aparições públicas, o ex-presidente Lula programou dois eventos nos próximos dias para marcar seu retorno à cena política.

Amanhã, ele terá recepção de estrela no Fórum Social Mundial, que realiza sua 11ª edição em Dacar, no Senegal.

Na quarta-feira, voltará ao palanque na festa de 31 anos do PT, em Brasília, quando reassumirá o título de presidente de honra do partido, informa o repórter Bernardo Mello Franco.

A escolha da África para a primeira viagem internacional fora do poder é estratégica. Lula quer reforçar a imagem de parceiro do continente, um dos focos de atuação do seu futuro instituto.

Ele participará de debate com o presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, e será um líder informal da delegação brasileira. Num gesto de deferência, o Planalto escalou seu ex-chefe de gabinete, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral), como chefe da comitiva oficial.

Também irão a Dacar as ministras Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Luiza Bairros (Igualdade Racial).

Acompanham Lula o ex-presidente do Sebrae Paulo Okamotto e o ex-ministro Luiz Dulci (Secretaria-Geral), ambos da equipe do instituto.

Gabinete de Segurança Institucional designou quatro militares para protegê-lo -o que é um direito dos ex-presidentes. De volta ao país, Lula será homenageado pelo PT, que reunirá ministros e congressistas para aplaudi-lo num teatro em Brasília.

Segundo o PT, a presidente Dilma Rousseff ainda não confirmou presença. Parte dos dirigentes defende que ela não vá para não dividir os holofotes com o antecessor.

"Vai ser um marco histórico. Lula governou por oito anos, elegeu a sucessora e agora volta para fazer política no PT. Ele não vai vestir o pijama de jeito nenhum", diz Francisco Campos, membro do Diretório Nacional do PT.

Pelo roteiro, Lula agradecerá o apoio a seu governo e pedirá que a militância continue mobilizada a favor de Dilma. Ele deve defender a reforma política, causa à qual promete se dedicar após a criação do Instituto Lula.

Escrito por Anna Virginia às 13h05

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

A dieta da presidente


Lula Marques/Folhapress

Os quilos a mais na balança fizeram a presidente Dilma Rousseff entrar em dieta rígida no primeiro mês de mandato. 

Dietas como South Beach, que prometem rápido emagrecimento a quem reduzir drasticamente o consumo de carboidratos, pecam por um cardápio pouco balanceado, avaliam especialistas.

O método seguido por Dilma, por exemplo, libera carnes e grãos. Em compensação, restringe frutas, massas, arroz, pães, batata e até leite.

Segundo pessoas próximas, contudo, a petista não tem sido tão radical. Mas, nos almoços do Palácio do Planalto, se limita a carnes, legumes e saladas.

“Não gosto muito de dietas em que fiquem faltando nutrientes”, diz o endocrinologista Alfredo Halpern, autor da dieta dos pontos (na qual se come de tudo, mas em doses calculadas).

Suplementos vitamínicos, segundo o médico, podem repor buracos no cardápio da presidente.

Outro problema apontado por Halpern é a dificuldade em abrir mão de certos alimentos. Ele define o método escolhido pela presidente como “admissível”, mas difícil de manter a longo prazo.

A dieta tem simpatia da vice-presidente da Asbran (Associação Brasileira de Nutrição), Virgínia Nascimento.

Ela calcula que, se a pessoa seguir três ciclos de 12 dias, pode perder mais de 10 quilos --segundo assessores, Dilma já perdeu quatro quilos.

E que, comparada a outros menus anticarboidrato, a dieta de South Beach leva uma vantagem: opta por gorduras insaturadas (as que diminuem o colesterol).

Exemplo: a dieta do dr. Atkins, outra que abusa das proteínas, foi criticada por permitir até ovos com bacon.

Virgínia lembra que no caso de Dilma, que passou por um tratamento com quimioterapia contra um câncer linfático, frutas e vegetais com antioxidante são recomendáveis --a rigor, esses alimentos desaparecem na primeira fase de South Beach.

A nutricionista ressalta, contudo, que as restrições não duram para sempre.

Escrito por Anna Virginia às 11h42

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Vida boa...


Marcos Ferreira/Photo Rio News/Ag. O Globo

Na semana em que foi empossado deputado federal, o ex-jogador Romário (PSB-RJ) foi fotografado, durante a tarde, jogando futevôlei na praia da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

O flagrante aconteceu ontem, por volta das 17h, enquanto ocorria a primeira sessão legislativa na Câmara.

A foto está na capa da edição de hoje do jornal "Extra". Segundo a publicação, Romário esteve no Congresso ontem pela manhã, registrou sua presença às 10h17 e pegou o avião rumo ao Rio.

Como a sessão não era deliberativa e não havia ordem do dia, as ausências registradas não contaram para descontar os salários.

Na terça-feira, dia da posse, o ex-atacante da seleção ficou praticamente o tempo todo no fundo do plenário --de vez em quando atendia a pedidos de fotografias.

Ele chegou a se incomodar com o assédio, dizendo que queria ouvir o que estava sendo dito (a leitura do nome dos deputados eleitos).

Mas respondeu a algumas abordagens: "Com certeza é um golaço, um gol diferente", declarou a respeito de sua eleição.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do deputado para comentar a foto divulgada.

'AMO FUTEVÔLEI'

À noite, Romário se explicou pelo Twitter, numa série de 16 comentários.

"Ontem, para aqueles que não sabem, não teve plenário e a presença não era obrigatória", escreveu o deputado recém-empossado. 

"Mesmo assim, como eu já havia dito aqui, marquei minha presença e me reuni com meus assessores. Para todos aqueles que votaram e acreditam em mim, vocês podem ter certeza de que eu nunca irei decepcioná-los."

Ele garantiu, ainda, que nunca deixará o esporte, mas que isso "nunca vai atrapalhar" sua vida política. "Tenho consciência do que sou e represento."

Escrito por Tathiana Barbar às 15h19

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Deputado que 'se lixa'


Diógenis Santos/Agência Câmara

O deputado Sérgio Moraes (PTB-RS), que em 2009 disse se lixar para a opinião pública, foi eleito suplente da Mesa Diretora da Câmara.

Ele poderá fazer parte de todas as reuniões decisórias da Casa e substituirá o 4º secretário, responsável pelos apartamentos funcionais.

Moraes ficou conhecido em 2009, depois de dizer que estava se "lixando para a opinião pública".

Na ocasião, foi afastado da relatoria do caso contra Edmar Moreira, o deputado do castelo, no Conselho de Ética por defendê-lo em público. Moreira foi inocentado após denúncias de ter usado parte de sua verba parlamentar com suas empresas.

Moraes foi o candidato do PTB para o cargo e recebeu 395 votos, mais do que os conquistados por Marco Maia (PT-RS), eleito presidente da Câmara. O petista conseguiu 375 votos.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h04

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

'Muito trabalho'


Fernando Bezerra Jr./Efe

O primeiro mês como presidente, segundo Dilma Rousseff, “foi de muito trabalho”.

Logo após cerimônia pública no Palácio do Planalto, sua primeira após a posse, Dilma fez brevíssima avaliação sobre sua estreia no cargo, informam os repórteres Breno Costa e Ana Flor

“Eu acho que o primeiro mês foi de muito trabalho e acredito que é uma indicação da quantidade de trabalho que eu tenho nos próximos”, disse.

É só o começo: ela terá mais 47 meses de labuta pela frente, fora uma possível reeleição.  

Nos 30 dias iniciais, Dilma percorreu 15,5 mil km, visitou três Estados e um país, a Argentina.

Escrito por Anna Virginia às 13h41

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Curiosidades


Sérgio Lima/Folhapress

A biografia oficial dos novos deputados federais, disponível no site da Câmara, ganhou itens pouco comuns no cadastro parlamentar, informa a repórter Flávia Foreque.

O perfil do deputado Tiririca (PR-SP), por exemplo, cita como única obra publicada pelo palhaço o livro "As piadas fantárdigas do Tiririca" --com a ressalva de que o parlamentar foi coautor da obra.

O jogador de futebol e deputado federal Danrlei (PTB-RS) também destacou seu único livro publicado até o momento: "Danrlei: uma lenda gremista".

Outro deputado famoso, Romário (PSB-RJ) inovou no campo "condecorações".

As comendas e títulos de cidadão honorário, comuns no perfil de parlamentares mais experientes, deram lugar aos títulos obtidos pelo baixinho em 1994: "tetra campeão do mundo de futebol" e "melhor jogador do mundo".

Todas essas informações são repassadas por assessores dos parlamentares a partir de um formulário padrão elaborado pela Câmara.

Os deputados mais novos e com menor experiência política foram os mais sucintos no preenchimento dos dados biográficos. Com 21 anos, idade mínima exigida para assumir o mandato, o deputado federal Hugo Motta (PMDB-PB) destacou, além da filiação partidária, apenas sua formação acadêmica: "medicina (incompleto)".

Outro jovem deputado, o filho do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), Renan Filho (PMDB-AL), lembra não só sua atuação política à frente da Prefeitura de Murici como também os anos de estudo na UnB (Universidade de Brasília).

No campo "atividades sindicais, representativas de classe e associativas", o deputado cita sua passagem como presidente do centro acadêmico do curso de Economia.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h14

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Pindamonhangaba

Após ter o nome incluído na investigação do suposto esquema de corrupção protagonizado pelo cunhado de Geraldo Alckmin em Pindamonhangaba, Myrian Alckmin, sobrinha do governador e vice-prefeita da cidade, conseguiu, na Justiça, suspender o trabalho da comissão que apura o caso na Câmara Municipal.

Os vereadores da cidade instauraram em 2006 uma comissão especial de investigação com base em denúncias feitas pelo ex-vice-prefeito da cidade, João Bosco.

Segundo Bosco, Paulo Ribeiro, um dos onze irmãos de Lu Alckmin, montou um esquema de pagamento de propina a políticos e suborno de funcionários públicos para intermediar contratos da prefeitura com empresas de fornecimento de merenda.

No fim de dezembro do ano passado, após denúncia de que Ribeiro também teria feito doações irregulares à campanha do prefeito João Ribeiro e sua vice, Myrian, a comissão de vereadores incluiu o nome da sobrinha do governador no relatório final da investigação parlamentar.

O documento solicitava abertura de procedimento que poderia levar à cassação de Myrian e João Ribeiro.

A vice-prefeita conseguiu um mandado de segurança com força de liminar e impediu a leitura do relatório final. À Justiça, ela alegou que houve uma série de irregularidades na condução da investigação da Câmara.

Em entrevista à Folha, Myrian Alckmin disse que seu nome foi incluído no relatório com base em suposições e insinuou que a disputa política pelo comando da cidade está interferindo nas investigações.

"Sempre queremos esperar o melhor das pessoas, mas a essa altura fica difícil evitar esses pensamentos", disse a vice-prefeita. Se ela e o prefeito fossem cassados, o presidente da Câmara Municipal passaria a governar Pindamonhangaba.

Alckmin tem acompanhado o escândalo à distância. O governador não é próximo a Paulo Ribeiro e chegou a repreender o cunhado publicamente, em 2008.

Escrito por Daniela Lima às 20h41

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Pux?


José Cruz/ABr

O "Diário Oficial" da União publicou na edição desta quarta-feira a indicação de Luiz Fux para a vaga deixada por Eros Grau no STF (Supremo Tribunal Federal). 

O destaque, no entanto, ficou por conta do erro cometido na publicação. O sobrenome do indicado saiu como "Pux".

A vaga no STF estava aberta desde agosto de 2010, quando Grau se aposentou. O então ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) tem o apoio do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB).

A demora para apontar o 11º ministro atrapalhou julgamentos cruciais, como o que trata da aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa --empatado em 5 a 5 no tribunal.

Também estavam na bolsa de apostas para a 11ª cadeira Cesar Asfor Rocha (STJ) e Luís Inácio Adams, da AGU (Advocacia-Geral da União).

O MCCE (Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral), um dos promotores da Ficha Limpa, havia sugerido o nome do juiz Márlon Jacinto Reis.

Escrito por Tathiana Barbar às 11h59

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Líder da oposição


Lula Marques/Folhapress

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi recebido ontem no Congresso Nacional como o líder da oposição. Previamente convocados, seus aliados -incluído o comando do DEM -montaram uma recepção pela manhã na entrada do Senado, informam os repórteres Catia Seabra, Ranier Bragon e Maria Clara Cabral.

"Vamos formar uma turma boa", afirmava Aécio ao ser abordado por colaboradores.

A movimentação deixou explícitas disputas internas na oposição ao governo Dilma.

Hoje um dos maiores desafetos do ex-presidenciável José Serra (PSDB-SP), o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra (PE), também participou da recepção.

A cúpula do DEM, por sua vez, um dia depois de derrotar o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), na disputa pela liderança do partido na Câmara, não só esperou por Aécio como posou para fotos ao seu lado.

Ao comentar por que o senador fora tratado como expoente, o novo líder do DEM na Câmara, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), foi direto: "Ele é o líder da oposição".

Minutos antes de trocar sorrisos com a apresentadora Sabrina Sato, do programa "Pânico da TV", da RedeTV!, Aécio ensaiou um gesto de modéstia: "Não me julgo o líder da oposição. Serei uma das peças da oposição".

"É preciso uma oposição vigorosa até para que o governo possa corrigir rumos eventualmente. Não há governo forte sem oposição forte", afirmou o senador tucano.

Escrito por Tathiana Barbar às 10h08

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Escudeiro de Lula, Chico elogia FHC

Simpatizante de Lula e com irmã no ministério de Dilma, Chico Buarque chamou Fernando Henrique Cardoso de “chave sem a qual não seria possível [o Brasil] avançar”.

Feito em entrevista à revista do jornal espanhol “El País”, o galanteio vem como mais um rodopio na roda-viva que é a relação entre Chico e FHC.

Os dois já se estranharam em público. FHC chegou a definir Chico como artista “mais da elite tradicional”, contraponto aos “gênios” Caetano Veloso e Gilberto Gil, em encontro com um presidente português.

O diálogo, rebatido pelo músico como “conversa de cozinha”, veio à tona em 1998, no livro de um ex-porta-voz de FHC.

Chico, na época, já fazia oposição ao tucano. Mas nem sempre foi assim.

Em 1978, o músico produziu seu primeiro jingle para FHC, candidato ao Senado pelo MDB. Sete anos depois, na disputa pela prefeitura de São Paulo, fez uma paródia de música sua, “Vai Passar”, para dar uma forcinha na campanha municipal.

No ano passado, fiel a Lula, o compositor participou de evento pró-Dilma Rousseff. “Um governo que não fala fino em Washington nem fala grosso com Bolívia e Paraguai. Por isso é respeitado e querido mundo afora, como nunca antes na história deste país”, gracejou sobre a gestão petista, com nova agulhada no tucano.

Na entrevista ao “El País”, publicada no domingo (30), Chico faz elogios efusivos a Lula, mas dessa vez reservou o chorinho para FHC.

O petista, segundo Chico, empenhou-se em tirar o maior número de pessoas da miséria, “e isso se perpetua com Dilma”.

Antes, diz o músico, “a situação social do Brasil era uma vergonha”. A culpa do tucano, contudo, é relativizada. “Os méritos vão também para as bases da política econômica empreendida por Fernando Henrique Cardoso. Foi a chave sem a qual não seria possível avançar.”

Mais de Chico: as "regras do capitalismo" serviram de trampolim para a "distribuição da riqueza". “Alguns de esquerda pode pensar que [a gestão tucana] não era humanitária o suficiente, mas ninguém pode negar que foi o mais inteligente.”

Hoje à noite, o PSDB mostrará programa de dez minutos em cadeia nacional. A seguinte cena não irá ao ar, mas poderá ser conferida no site da sigla: uma garota questiona FHC sobre Chico Buarque.

Diplomático, o ex-presidente diz apreciar e cita "Apesar de Você" como sua canção predileta.

Escrito por Anna Virginia às 00h20

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Maioria governista


Folhapress

A maioria das bancadas de deputados estaduais que assumem hoje chega ao poder sob o signo do governismo.

Levantamento feito pela Folha mostra que em ao menos 19 Estados os governos terão maioria no Legislativo.

Em alguns, como SP, MG, MT e PR, a oposição não terá nem sequer um terço dos deputados, número suficiente para criar CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito).

Sem força política, os oposicionistas também não são eleitos para cargos de peso, capazes de influir na votação de propostas de interesse do Executivo.

Em São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) terá o apoio de 67 dos 94 deputados. Os deputados paulistas só tomam posse em 15 de março. Mas já há definição de quem será o presidente: Barros Munhoz (PSDB) deve ser reeleito, com candidatura única.

No Espirito Santo, o governador Renato Casagrande (PSB) não deverá ter oposição. Mesmo partidos que disputaram a eleição contra ele, estarão na sua base.

É o caso do PPS, que já negocia cargos no governo capixaba. "Estamos "fechadinhos" com ele", disse a presidente da legenda no Estado, Marília Belotti.

Dos 77 deputados estaduais mineiros, o governador Antonio Anastasia (PSDB) deverá ter, no máximo, 23 oposicionistas. Alguns dos oito deputados do PMDB, hoje na oposição, podem apoiar o governo.

No Rio, Sérgio Cabral (PMDB) continuará com maioria, mas deve ter uma oposição mais forte em relação ao primeiro mandato.

Isso se deve ao crescimento do PR, partido do ex-governador Anthony Garotinho (PR-RJ), que, com nove deputados eleitos, passou a ser a terceira maior bancada.

Os outros Estados com maioria governista são AC, AL, AM, AP, BA, CE, GO, MS, MT, PA, PE, PI, RS e SC.

Escrito por Tathiana Barbar às 09h56

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Calouros


Folhapress

Deputados calouros como Protógenes Queiroz (PC do B-SP) e o ator Stephan Nercessian participaram do 2º Encontro Parlamentar, dedicado aos deputados novatos.

Foram distribuídos "bottons", carteirinha parlamentar, regimento e a Constituição. Romário (PSB-RJ) e Tiririca (PR-SP) faltaram à primeira aula. Já Benedita da Silva (PT-RJ) e Anthony Garotinho (PR-RJ) participaram do encontro.

Uma das peças mais requisitadas do kit era um roteiro para obtenção de benefícios destinados aos deputados. O impresso explicava, por exemplo, como requisitar imóvel funcional e cotas de passagem aérea.

A reunião foi marcada pela campanha dos candidatos à presidência da Câmara, Marco Maia (PT-RS) e Sandro Mabel (PR-GO).

Um dos novatos aproveitou o primeiro dia do ano de movimentação para colher assinaturas para a instalação de uma CPI e já conseguiu mais de cem apoios. Wellington Prado (PT-MG) quer investigar desvios de recursos que ele diz estar ocorrendo no seguro DPVAT.

Todos os deputados que chegavam no auditório recebiam, além do material de campanha dos candidatos para o cargo da Mesa, currículos de pelo menos duas moças com roupas provocantes.

Donos de lojas de shoppings de Brasília falavam ontem que, por causa da posse dos deputados hoje, o movimento havia aumentado. Nos salões mais badalados da cidade a principal procura era pela escova.

Foi a opção de Maria Eduarda Portela Nogueira, 13, filha dos eleitos Iracema Portela (deputada, PP-PI) e Ciro Nogueira (senador pelo mesmo partido e Estado).

A menina estava acompanhada da madrinha e outras três mulheres, todas vindas do Piauí para a posse.

Escrito por Tathiana Barbar às 09h53

Comentários () | Enviar por e- mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Blog Presidente 40 Blog da Folha com notícias, análises e bastidores da política nacional, coordenado por Vera Magalhães, repórter especial do jornal em São Paulo.
Twitter Twitter RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.